A Cultura do Cuidado

O termo Cultura do Cuidado - que, nos últimos anos, vem ganhando espaço e significado ampliado na Igreja - foi inicialmente empregado pelo Papa Francisco na Encíclica Laudato Sí: “o amor social impele-nos a pensar em grandes estratégias que detenham eficazmente a degradação ambiental e incentivem uma cultura do cuidado que permeie toda a sociedade” (n. 231).

O Colégio Santo Inácio tem, em sua essência, a missão de cuidar. Ao longo de nossa caminhada, não apenas cuidamos, mas ensinamos o cuidado: com o próximo, consigo e com o mundo. Valorizamos as relações, o respeito e a dignidade humana, crendo que amor, acolhimento e responsabilidade são pilares para uma vida mais justa e saudável.

Cultura do Cuidado na prática

Formação Integral de Alunos

Projetos como Abrindo o Coração, Mentoria, Projeto de Vida, Grupos de Liderança e atividades de orientação profissional.

Formação para Famílias

Promoção de palestras, encontros e lives formativas para pais e responsáveis.

Formação de Colaboradores

Ações direcionada para o aprimoramento contínuo e especialização dos nossos colaboradores.

Políticas de Proteção e Conduta

Adoção e prática da Política de Proteção aos Direitos da Criança e do Adolescente proposta pela Rede jesuíta de Educação (RJE) e do Código de Ética, Conduta e Cuidado.

Compliance

Constante aperfeiçoamento do modelo de governança e das práticas de gestão de ética e compliance do nosso Colégio.

Formação Cristã

Iniciativas como voluntariado, retiros e programas voltados para colaboradores, famílias e antigos alunos.

Justiça Social

Oferta de cursos noturnos gratuitos (EJA e Educação Profissional), apoio a instituições sociais, eventos beneficentes e campanhas solidárias.

Práticas de Diálogo

Práticas que visam à escuta ativa e o fortalecimento da comunidade (alunos, famílias, colaboradores e antigos alunos).

Essas e outras iniciativas estão profundamente identificadas com a perspectiva que nos propõe a Igreja hoje.

“Toda a pessoa humana é fim em si mesma, e nunca um mero instrumento a ser avaliado apenas pela sua utilidade: foi criada para viver em conjunto na família, na comunidade, na sociedade, onde todos os membros são iguais em dignidade. E desta dignidade derivam os direitos humanos, bem como os deveres, que recordam, por exemplo, a responsabilidade de acolher e socorrer os pobres, os doentes, os marginalizados, o nosso «próximo, vizinho ou distante no espaço e no tempo”.

Papa Francisco

Contamos com toda a comunidade inaciana nesta caminhada, em busca de valorizar cada vez mais as relações interpessoais, respeitar as diferenças, manter um ambiente escolar saudável e seguro e construir um mundo melhor.